Período de Realização

De 01/09 a 30/09 (2016)

 

Descrição/Justificativa

Aproveitando o ECOmeço, semana de recepção dos calouros, o PET realizará a oficina para introduzir os alunos no mundo das possibilidades de atuação do jornalismo. Com o volume de dados disponibilizados na internet, seja por órgãos públicos oficiais (no caso do Brasil, com a Lei de Acesso à Informação, que vigora desde 2012) ou instituições privadas e não-governamentais, o acesso a eles tem sido um dos campos mais importantes de exercício da prática jornalística nos últimos anos. Com as técnicas do jornalismo de dados, no qual se inclui a Reportagem Assistida por Computador (RAC), são descortinados variados cenários informacionais no emaranhado de dados muitas vezes inacessíveis à maioria do público. 

 

Objetivos

Além de servir de acolhida aos novos alunos, pretende-se que a oficina seja uma forma de fazê-los conhecer melhor o PET e sua atuação na Escola de Comunicação. Também busca-se que ela seja um momento para indicar aos calouros uma das possíveis especializações no campo do jornalismo, já que o conhecimento dos recursos para obtenção de informações de interesse do público no volume gigantesco de dados na internet tem se apresentado com uma capacidade profissional em alta conta no mercado de trabalho. Como os aprovados para a ECO só escolhem as suas habilitações ao final do terceiro período, quando encerram o Ciclo Básico, a oficina pode ajudar na escolha do curso que seguirão nos semestres seguintes, fazendo-os vislumbrar uma área na qual poderão investir e se especializar.

 

Como a atividade será realizada? (Metodologia)

A oficina será realizada durante 3 horas (de 14 às 17h) do dia 1º de setembro de 2016 e será ministrada pelos bolsistas do PET sob supervisão do tutor. Para isso, os calouros serão introduzidos ao tema do jornalismo de dados pelos aspectos da legislação (o que diz a Lei de Acesso à Informação e quais as obrigações das instituições públicas no que diz respeito à transparência de suas ações), sobre bases de dados (públicos e privados), RAC, raspagem de dados, ferramentas de visualização de dados etc. Na primeira metade do tempo da oficina serão tratados os temas relativos à legislação, ao RAC, às técnicas de raspagem de dados, às bases de dados e onde encontrá-las. Na segunda metade do tempo seguinte serão feitos alguns exercícios básicos de raspagem e visualização de dados, com a operação de alguns softwares. Os alunos receberão uma apostila produzida pelos petianos a partir de material previamente organizado pelo tutor, cujos ajustes terão que ser feitos em função do tempo e do público da oficina.

 

 

Quais os resultados que se espera da atividade?

Resultados / produtos esperados com a atividade: melhorias para o Curso, para a Educação, para a sociedade, meios para a socialização dos resultados, publicações, etc.

Espera-se que a oficina possa ajudar os calouros no difícil processo de escolha de suas habilitações, já que o jornalismo de dados pode se apresentar como um possível campo de atuação profissional. Ao mesmo tempo, a atividade poderá servir de espaço prático de atuação docente dos petianos, pois eles terão a oportunidade de conciliar a administração de um conteúdo a um público dentro de um determinado tempo. Para o bom desenvolvimento da atividade junto aos calouros, os bolsistas do PET responsáveis pela oficina (entre 2 e 3 deles) antes ministrarão o conteúdo, dentro das mesmas 3 horas, para o tutor e demais colegas do Programa. Assim, poderemos todos previamente avaliar se o plano de trabalho da oficina está adequada aos resultados que se espera com ela.